• Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle

Orgulhosamente criado por Paula Castro

  • Trendy 4u

Qual a melhor época pra visitar a Borgonha?

Na hora de planejar a viagem sempre há duas coisas básicas que levamos em consideração: a época que o chefe libera as nossas férias e a estação do ano do país de destino.

A Borgonha é um destino que você pode aproveitar as 4 estações. Mas há duas que na minha opinião são as melhores: primavera e outono.


Mas vamos ver as vantagens de cada uma!


Primavera

(21 de março à 21 de junho)

Época das flores, do amor e do sol que reaparece depois de meses escondido durante o inverno. É quando as folhas das vinhas florescem e os vinhedos começam a ficar verdes. A paisagem começa a ficar mais convidativa e os dias com sol facilitam os passeios ao ar livre.


O frio já não é tão forte, aproximadamente 15°C e em geral fica assim até fim de maio quando começa a esquentar. É mais agradável para passear, não se passa tanto frio e nem calor, também não é uma época de muita chuva e os dias começam a ser mais longos, anoitecendo depois das 19 horas. Os domaines/vinícolas ainda estão tranquilos e recebem visitantes em diversos horários, sempre com agendamento prévio.


Os hotéis, pousadas, restaurantes não estão tão cheios o que torna a viagem bem mais tranquila. Para mim é uma linda época. Além do fato de ver as cidades sempre floridas. É toque francês durante a primavera.

Verão

(21 de junho à 21 de setembro)


Época de temperaturas elevadas e vinhedos lindíssimos! Tudo bem verdinho até onde a vista alcança. Muitos e muitos turistas europeus, americanos, japoneses, chineses, coreanos, australianos e brasileiros, todos juntos visitando os pontos turísticos, indo a restaurantes, boutiques de vinhos, passeando pelas ruas cheias de vida e cheias de cores! Tudo é mais vivo e lindo! E quente.


Muito quente. Aqui não é o Brasil, mas quando faz 30°C é mais insuportável do que o Rio de Janeiro a 41°C. Aqui o clima é continental e no Brasil tropical. Há muitas diferenças que eu não vou explicar agora, mas a que é mais marcante é: muito calor abafado e pouca chuva. Pelo menos pra dormir é agradável, já que geralmente a temperatura cai bastante.


E na Borgonha como temos muitos vinhedos e os prédios são bem baixinhos, há pouca sombra. Ou seja, sol a pino das 5 da manhã até 22h. O dia mais longo é bem convidativo para tomar vinho branco ou um rosé ou uma bela taça de crémant de Bourgogne (o espumante da região) num terraço de um café.


No verão precisa reservar tudo com muita antecedência e pode acontecer de domaines/vinícolas não receberem visitantes para degustações, porque os funcionários estão focados no cultivo das vinhas, já que em meados de setembro e começo de outubro acontece a vindima, em francês la vendange, a colheita das uvas. Por isso eu sugiro que entrem em contato com os domaines com antecedência para se certificarem.


Pequenos restaurantes, sorveterias e lojas também costumam fechar por algumas semanas “em férias”. Isso é normal na França toda. Em Paris uma das lojas mais famosas de sorbet fecha por um longo período no verão porque o proprietário sai de férias. Aqui isso acontece.


Mas nada que estrague a viagem, só precisa ter mais organização e saber lidar com pequenos imprevistos. Eu mesma já vi escrito no guia de turismo: estamos abertos em junho, julho, agosto. Mas chegando na porta da loja estava fechado por motivo de férias. Acontece, é normal. Segue o jogo.

Outono

(21/setembro à 21/dezembro)


Considerada por 99% dos borgonheses a estação do ano mais bela.


É quando as folhas verdes das vinhas se amarelam ao mesmo tempo dando uma nova cor a paisagem. E quando os raios de sol batem nessas folhas elas refletem a cor de ouro. Por isso o departamento (como se fosse um município) que estamos localizados se chama Côte-d’Or: a encosta do ouro. Bonito, não?!


Após esse período que dura em geral uma semana, as folhas tombam e as vinhas começam a descansar. Enquanto isso a paisagem das florestas, parques e ruas continuam a nos surpreender com sua folhas beges-amareladas e vermelhas. É encantador!!!


A temperatura é mais fria, em outubro temos aproximadamente 15°C chegando em novembro a 0°C e chove mais, o clima é sempre úmido nessa época do ano.


É a partir desse momento que o trabalho nos domaines/vinícolas é mais calmo e as degustações são mais lentas com acaloradas explicações dos viticultores, que adoram receber visitantes e mostrar a cultura borgonhesa.


Os restaurantes, hotéis e pontos turísticos são mais tranquilos exceto no fim de semana do leilão do Hospices de Beaune, em francês Vente des Vins. Esse é o evento mais aguardado do ano, onde vinhos celebres são leiloados e gente do mundo todo vem participar e curtir o burburinho que acontece por aqui. Parte do valor arrecadado vai para instituições de caridade, este ano de 2017 foram 3, e parte vai para o grupo do Hospices de Beaune, que inclui o museu L’Hôtel-Dieu, um centro hospitalar e uma vinícola de 60 hectares. Durante esse fim de semana que é geralmente alguma data a partir da segunda quinzena de novembro, os gîtes (espécie de pousadas ou pequenos apartamentos) ficam lotados e os hotéis ficam mais vazios, isso porque nos últimos anos os hotéis têm subido as tarifas durante esse evento, como o que acontece no Natal e Ano Novo no Brasil. O povo que não é bobo acha melhor gastar o dinheiro em vinho do que em hotel com tarifa abusiva e preferem os gîtes. Então fiquem atentos e pesquisem. Fazer degustações e jantar em restaurantes requer reservas e dependendo do tipo de estabelecimento pode estar lotado por causa do leilão. A data do leilão para 2018 nós ainda não temos, mas é só digitar no Google “vente des vins hospices de Beaune 2018” para saber a data exata do próximo ano.

Inverno

(21 de dezembro à 21 de março)


Ah o inverno! A paisagem muda completamente. As vinhas estão dormindo e descansando para logo mais na primavera florescerem. A temperatura baixa faz com que os germes sejam mortos deixando a terra mais saudável. O terreno fica um tom de marrom escuro quase preto e vemos de longe a fumaça que vem dos vinhedos, que são os galhos podados sendo queimados. O trabalho no terreno fica mais árduo com o tempo frio, vento, chuva e neblina.


E é nesse clima de calmaria que a vida anda na Borgonha durante esses meses.


Tudo é mais tranquilo, as lojas fazem ótimas promoções que podem chegar até 70% de desconto, as pessoas têm mais tempo de conversar, os hotéis e gîtes são bem vazios, porém tudo fecha muito cedo. Você pode se deparar com um restaurante fechando as portas às 19h ou ser a única mesa ocupada às 20h. O frio deixa todo mundo no quentinho de suas casas.

Por falar em frio a temperatura é bem baixa por aqui e chove bastante dando a impressão que está mais frio. Então tem que se agasalhar muito bem e usar gorro, luvas e cachecol.


Os pontos turísticos têm horários diferentes, fechando sempre mais cedo e alguns são fechados durante todo o inverno. Os domaines/vinícolas estão abertos ao público e degustações alegram o ambiente. Aliás é um ótimo momento para quem quer aprender com calma as particularidades do vinho da Borgonha, entretanto tente fugir das semanas entre o Natal e Ano Novo porque tudo é fechado e não tem grandes agitações por aqui.


Mas o bom de vir no inverno é poder dar uma esticada na Suíça, que é aqui pertinho ou em alguma estação de ski! Assim você pode turistar pela Côte d’Or com calma, passear nos domaines e caves (adegas), fazer compras e ir descansar na Suíça bebendo uma garrafa de vinho Grand Cru da Borgonha numa piscina com vista para os Alpes Suíços!! Legal hein?!

E aí, se animou para vir para Borgonha?!

Quando você vem?! Decidiu a época do ano?!

Estamos esperando você!!

Vem pra Borgonha!


6 visualizações1 comentário