• Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle

Orgulhosamente criado por Paula Castro

  • Trendy 4u

Nasceu! Alimentação na amamentação.



O Leite materno é o alimento mais completo, tem todas as substâncias e vitaminas na quantidade certa que o bebê precisa para crescer e se desenvolver sadio.

Reduz a probabilidade de seu filho se tornar uma criança obesa, melhora a resposta à imunidade, defende da asma e de outras infecções e ainda estimula o desenvolvimento do cérebro.


É natural comer um pouco mais ou sentir mais fome e sede durante a amamentação, pois a mulher está gastando energia para produzir o leite. Deve-se prestar atenção à escolha dos alimentos optando sempre pelos mais saudáveis.


No entanto, para que isso ocorra, é importante que a mãe esteja bem alimentada durante todo o período da amamentação, pois tudo o que é ingerido nesta fase é passado para o bebê, ajudando no crescimento e, também, podendo causar certos desconfortos.

A orientação para se ter uma alimentação saudável é consumir o máximo possível de alimentos in natura, como frutas, legumes, verduras, arroz, feijão, carnes, e preparações ou receitas feitas em casa. Os alimentos ultraprocessados, feitos pela indústria, que vem nas caixinhas ou embalagens, prontos para aquecer, em geral tem muito sódio e devem ser evitados, pois favorecem doenças do coração, diabetes e vários tipos de câncer, além de contribuírem para o risco de deficiências nutricionais.


O que se deve consumir com moderação:

  • Aspartame


Alguns são proibidos para grávidas e lactantes por oferecerem riscos ao bebê. Entre eles está o aspartame, cujas pesquisas ainda não comprovaram sua segurança. Prefira a sucralose se realmente quiser utilizar um adoçante, ela também é indicada na gestação. O ideal é optar por adoçar seus alimentos com produtos mais naturais como o mel, o açúcar mascavo e o agave.

  • Bebidas alcóolicas


O álcool não é indicado para quem está amamentado porque, além de diminuir a absorção dos nutrientes pela mãe, também será consumido pelo bebê, podendo deixá-lo mais sonolento, num primeiro momento, além de fazer com que ele fique sem fome, atrapalhando seu ganho de peso.

  • Cafeína


Bebidas que contenham cafeína como o café, chá preto ou mate, energéticos, refrigerantes e o até mesmo o chocolate deve ser consumido em pequenas quantidades. A cafeína pode tornar os bebês mais irritados e com dificuldade para dormir. Tome, no máximo, duas xícaras de café por dia.

  • Industrializados


Eles estão recheados de produtos químicos como conservantes, corantes e estabilizantes. Prefira, na medida do possível, alimentos frescos e naturais.

  • Alimentos que causam gases


Feijão, brócolis, couve-flor, repolho e batata doce, entre outros, são alimentos que provocam gases intestinais e, por isso, não devem ser consumidos todos de uma única vez.

Se você quer eliminar seu peso rápido tem que amamentar, mas muitas mulheres tendem a seguir uma alimentação restrita em calorias durante a lactação para que possam atingir o peso pré-gestacional o mais rápido possível. O que muitas mulheres não se dão conta é que a produção de leite requer um gasto energético considerável. Para a produção de 100 ml de leite, aproximadamente 65 calorias, a lactante gasta 85 calorias. Devido a esse gasto energético, a mulher que está amamentando necessita de um aporte maior de energia. Enquanto que na gravidez a quantidade de energia a mais necessária era de 300 calorias, na lactação essa quantidade sobe para 500 calorias. Se uma mulher precisa de 2000 calorias para manter o peso, durante a lactação esse valor sobre para 2500 calorias.


No período de aleitamento exclusivo, ou seja, o bebê não consome nenhum outro alimento ou líquido, o depósito de gordura que a mãe acumulou durante a gestação, também é utilizado para fornecer energia para a produção do leite. Por isso, quanto mais a mulher dar o peito exclusivamente, maior será o gasto energético dela e, consequentemente, o depósito de gordura se reduzirá. Conforme o aleitamento deixa de ser exclusivo e a produção de leite se torna menor, a quantidade de calorias da alimentação da mãe pode ser reduzida para que continue o processo de redução de peso.

E o que podemos comer ou beber para aumentar a produção de leite?

A verdade é que não existe comprovação que alguma comida ou bebida aumente ou reduza a produção de leite materno. O que determina a produção de leite é a quantidade de vezes que o bebê mama no peito ou quanto mais a mãe esvazia suas mamas. Ou seja, quanto mais o bebê mamar, mais leite a mãe terá.

O que realmente é importante para manter a produção de leite é amamentar o bebê sob livre demanda, sempre que ele quiser ou que a mãe perceber que ele está com fome, deve-se oferecer o peito sem marcar hora e amamentar várias vezes durante o dia e a noite.


Por exemplo, não há evidências de que a cerveja preta promova aumento da produção de leite. E pode até ser arriscado tomar qualquer tipo de álcool, pois ele passa para o leite materno. Portanto, cervejas não devem ser consumidas.

Assim, a melhor coisa na amamentação é manter uma alimentação saudável e equilibrada.

Vanessa Ierizzo

Chef e amante do mundo

#TRENDY4U #TRENDY #VANESSAIERIZZO

10 visualizações