• Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle

Orgulhosamente criado por Paula Castro

  • Trendy 4u

Estou grávida! E agora, o que devo comer?



Parabéns! Você está com uma vida na sua barriga. Durante os próximos 9 meses tudo que você fizer será pensando somente nele.

Quando descobrimos a gestação a primeira coisa que passa em nossa cabeça é: O que devo comer para dar a melhor gestação ao meu filho ou filha?

A futura mamãe já deve começar a se preocupar em optar por uma alimentação saudável. Na gestação, a criança já entra em contato com a alimentação da mãe e, por isso, é preciso que ela tenha hábitos mais saudáveis.


Essa memória alimentar adquirida na barriga da mãe é levado pela criança por toda a vida. Por essa razão, a alimentação materna é tão importante. A depender do que a mãe come e da relação dela com os alimentos, a criança poderá ter ou não hábitos alimentares saudáveis, tendência à obesidade ou até mesmo adquirir algum tipo de doença crônica.


Com alimentação correta, os riscos de problemas cardíacos e diabetes são menores. As células aprendem a viver de uma forma saudável. Os médicos dizem que crianças que não tem contato com açúcar até os dois anos de idade, por exemplo, não terá esse hábito na vida adulta. Claro que sempre tem suas exceções, eu mesma quando bebê tomava muito chá com açúcar dado pela minha avó que dizia que acalmava. Assim como minha mãe me disse que não tinha todas essas regras com doces.


Pergunta se eu gosto de doces? Não vejo muita graça, quase nunca como, não por regime ou algo assim, mas porque simplesmente não tenho hábito, odeio brigadeiro, chocolate só se for meio amargo, bolos acho doce demais e sorvetes muito gelado.

Ok, podem dizer que sou fora da curva. Mas na vida devemos pesar bem naquilo que ouvimos e naquilo que realmente encaixa no nosso dia a dia.

Sei lá essa sou eu dizendo. Rs.

Então o que devemos comer na gravidez?

A alimentação na gravidez tem que ser rica em cereais integrais, legumes, frutas, leite e derivados, leguminosas, peixe e carne magra, como peru e frango, dando preferência a preparações culinárias com pouca gordura, como cozidos e grelhados.


A alimentação na gestação deve incluir o consumo de peixe pelo menos duas vezes por semana, mas evitando os peixes que podem ter maior quantidade de mercúrio, como atum, cação e peixe espada, pois o mercúrio passa pela placenta podendo prejudicar o desenvolvimento neurológico do bebê.

Para ajudar, vou dividir por trimestres os principais alimentos que devem ser ingerir.


NO PRIMEIRO TRIMESTRE:

Nos três primeiros meses de gestação é essencial a ingestão de ferro e ácido fólico. Esse período é marcado por aumento da frequência cardíaca e do volume de sangue da mãe, fase importante para o desenvolvimento das partes vitais do bebê. A ingestão destes elementos previne doenças cardíacas, anemia e malformações no feto.


Onde encontrar:

Ferro: em carnes, fígado, ovos, feijão, lentilha e em algumas hortaliças como espinafre, couve e beterraba. Para melhor absorção do ferro pelo organismo, é recomendável, segundo a profissional, consumir na mesma refeição alimentos ricos em vitamina C, como frutas cítricas e tomate. Os produtos ricos em cálcio, como leite e derivados, devem ser evitados, pois diminuem a absorção do ferro. Ácido fólico: encontrado em vegetais verdes escuros (espinafre, alface, couve, brócolis), cereais e frutas cítricas. Sempre preparar no vapor, pois o cozimento em altas temperaturas destrói o ácido fólico.


NO SEGUNDO TRIMESTRE:

Para o segundo trimestre, destaco a importância de reforçar a ingestão de vitamina C, que age na formação do colágeno na pele, nos vasos sanguíneos, nos ossos e na cartilagem, além de fortalecer o sistema imunológico da mamãe. O consumo de alimentos com vitamina B6 é importante para o crescimento e o ganho de peso do feto e para a prevenção da depressão pós-parto. O magnésio também deve estar presente nessa fase, pois favorece a formação e o crescimento dos tecidos do corpo.


Onde encontrar:

Vitamina C: nas frutas como kiwi, laranja, acerola, morango, melão, melancia, mamão, abacaxi e em algumas hortaliças como brócolis, pimentões, tomate e couve-flor. Vitamina B6: em alimentos como trigo, milho, fígado, frango, peixe, leite e derivados. Magnésio: nas nozes, soja, cacau, frutos do mar, cereais integrais, feijões e ervilhas.


NO TERCEIRO TRIMESTRE:

Nesta fase da gestação, é importante investir em cálcio e vitamina D, já que o bebê começa a esgotar as reservas da mãe para a formação óssea dele (dentes e ossos), explica a nutricionista Renata Moura.

Além disso, esses elementos auxiliam na contração muscular e batimentos cardíacos do bebê. Eles também são importantes para a gestante, que precisa para manter as unhas fortes, os dentes sem cáries, evitar gengivite e cãibras. O cálcio e a vitamina D ainda ajudam na produção de leite após o parto.


Onde encontrar:

Cálcio: em leites e derivados, bebidas de soja, tofu, gema de ovo e cereais integrais. Vitamina D: em leite enriquecido, manteiga, ovos e fígado. O banho de sol é essencial para que essa vitamina auxilie na fixação do cálcio nos ossos.


Sei por experiência própria que é muito difícil mudar nossa alimentação, mas com um pouco de esforço, podemos dar a melhor gestação para esse anjo que cresce dentro da sua barriga.

Semana que vem vou falar sobre os alimentos que devemos evitar na gravidez.

Vanessa Ierizzo

Chef e amante do mundo

#TRENDY4U #TRENDY #VANESSAIERIZZO

13 visualizações