• Facebook - Grey Circle
  • Instagram - Grey Circle
  • YouTube - Grey Circle

Orgulhosamente criado por Paula Castro

  • Trendy 4u

Prebióticos, probióticos e pós-bióticos auxiliam a perda de peso!



Probióticos, paraprobióticos, prebióticos e pós-bióticos na preservação da saúde Estes nomes esquisitos todos querem dizer uma coisa só: cuide melhor do seu intestino e preserve sua saúde por mais tempo. O intestino possui um sistema imune próprio, que comunica-se com o restante do corpo. Para que o intestino esteja saudável são necessários probióticos (bactérias boas vivas), paraprobióticos (bactérias boas inativas ou pedaços das mesmas), prebióticos (fibras que alimentam estas bactérias boas) e pós-bióticos (substâncias produzidas pelas fibras a partir da fermentação das fibras prebióticas).

A Organização Mundial da Saúde define probióticos como “microorganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefício para a saúde”. Probióticos vivos podem ser encontrados em alimentos como iogurte, leite fermentado, missô, tempeh, kombucha e também em suplementos. São muitas as variedades de bactérias probióticas. As pesquisas frequentemente usam lactobacillus acidophilus, lactobacillus casei shirota, lactobacillus rhammnosus, lactobacillus defensis, lactobacillus bulgaricos, bifidobacterium bifidum, bifidobacterium animallis, bifidobacterium lactis, bifidobacterium longum, streptococcus salivarius e thermophillus. Os prebióticos são substâncias alimentares que nutrem as bacterías probióticas. Os mais estudados são: oligofrutose, inulina, galactooligossacarídeos, lactulose, amido resistente. Simbióticos são produtos que combinam bactérias probióticas e fibras prebióticas. Os pós-bióticos são as substâncias produzidas pelas bactérias. Incluem enzimas, peptídeos, ácidos graxos de cadeia curta, polissacarídeos, dentre outras substâncias. Possuem atividades anti-inflamatórias, imunomoduladoras, anti-obesogênicas, anti-hipertensivas, hipocolesterolêmicas, antiproliferativas e antioxidantes. Essas propriedades sugerem que os pós-bióticos podem contribuir para a melhoria da saúde do hospedeiro, melhorando as funções fisiológicas, embora os mecanismos exatos ainda não tenham sido totalmente elucidados. Assim como as bactérias probióticas vivas, micróbios inativos (os paraprobióticos) também treinam o intestino, melhorando a imunidade. A utilização de paraprobióticos parece segura mesmo em pacientes graves ou em tratamento contra o câncer. Sua ação deve-se à presença de substâncias na parede celular das bactérias (MAMPś ou padrões moleculares associados a microrganismos) que são reconhecidas por receptores no intestino humano provocando a melhoria da imunidade.

Nos laboratórios, bactérias podem ser submetidas a tratamento térmico específico. As mesmas são mortas mas os MAMPs permanecem. Em contato com o intestino, reduzem a inflamação, sendo indicados para a prevenção e tratamento de várias doenças como artrite, colite e até câncer. O câncer desenvolve-se quando células alteradas deixam de ser combatidas pelo sistema imune. Para fortalecer a imunidade a dieta é fundamental. Proteínas, vitaminas, minerais, fitoquímicos e alimentos fermentados obtidos a partir de uma dieta variada e colorida.

Alimentos probióticos e a perda de peso

Quem quer emagrecer também pode obter efeitos positivos a partir do consumo dos alimentos probióticos. Isso foi comprovado por um estudo publicado no European Journal of Clinical Nutrition (Jornal Europeu de Nutrição Médica, tradução livre) em 2011. A pesquisa identificou que pessoas que beberam leite fermentado durante 12 semanas conseguiram obter uma redução na gordura abdominal e no peso.

Outro estudo, dessa vez publicado no Journal of Functional Foods (Jornal dos Alimentos Funcionais, tradução livre) no ano de 2012, constatou que pessoas que consumiram iogurte, que é uma bebida probiótica, registraram perda de gordura no corpo, porém sem reflexos na diminuição do peso.

Sendo assim, nós preparamos uma lista com alguns alimentos probióticos para você incluir na sua dieta:

1. Iogurte

Um dos alimentos probióticos mais conhecidos é o iogurte. Podendo ser consumido no café da manhã, no intervalo entre as refeições ou no lanchinho da tarde, ele é uma ótima opção para quem deseja obter as propriedades dos probióticos. Para manter a dieta em dia, dê preferência aos iogurtes naturais e desnatados, que geralmente possuem somente 75 calorias por copo e não têm gordura na composição.

A bebida também é benéfica ao corpo em outros sentidos: devido à presença de cálcio, ela ajuda a fortalecer os ossos e a proteger o sistema nervoso. Por conta das vitaminas do complexo B, o iogurte contribui com a produção de energia no organismo e é fonte de proteínas.

2. Chucrute

Obtido através da fermentação do repolho, o chucrute é um alimento rico em culturas de organismos vivos e uma excelente fonte de vitaminas A, do complexo B, C e E. Quer uma boa notícia para a sua dieta? Uma medida de chucrute equivalente a uma xícara contém apenas 27 calorias.

3. Kombuchá

O kombuchá é a forma fermentada do chá, que tem uma grande quantidade de bactérias do intestino. A bebida é usada para aumentar a energia, melhorar a sensação de bem-estar e até perder peso. Entretanto, vale registrar aqui que existem restrições para o consumo do kombuchá, especialmente para as pessoas que possuem problemas de saúde relacionadas ao fungo cândida. Uma porção de 100 ml da bebida não possui nenhuma caloria.

4. Picles

Mesmo que não seja tão conhecido dessa maneira, o picles, especialmente o não industrializado, é uma grande fonte de probióticos. O alimento também é uma excelente escolha para quem deseja emagrecer, já que contém somente 12 calorias em uma unidade média. Além disso, ele contribui com o sistema digestivo, é rico em vitamina C, ajuda na absorção de ferro e auxilia no combate às infecções urinárias.

5. Tempeh

Para os vegetarianos, o tempeh serve como um substituto para a carne. Esse alimento fermentado feito à base de soja também é uma excelente fonte de vitamina B12, que é importante para a formação das células vermelhas no sangue e fundamental para o nosso sistema nervoso central. O tempeh pode ser servido de diversas maneiras: salteado, cozido ou como acompanhamento em saladas. Em 100 g de tempeh são encontradas 193 calorias.

6. Sopa de miso

O miso, ou missô, é um dos ingredientes mais utilizados na medicina japonesa. Uma sopa preparada com centeio fermentado, feijão, cevada e miso dá origem a um prato rico em probióticos, que serve como regulador do sistema digestivo. Outro ponto importante é que a receita não é problema para quem está precisando emagrecer: são somente 84 calorias em uma medida da sopa correspondente a uma xícara.

7. Kefir (leite fermentado)

Semelhante ao iogurte, o kefir é uma espécie de leite fermentando que contém lactobacilos e é rico em antioxidantes. O produto pode ser encontrado em lojas especializadas na venda de alimentos saudáveis. Dá para achar versões do leite com 41 calorias em cada porção de 100 ml.



Receitas de alimentos probióticos

Uma ótima maneira de aliar sua dieta ao consumo dos alimentos probióticos é deixar os produtos industrializados e prontos de lado e prepará-los na sua própria casa. Por isso, seguem abaixo algumas receitas com alimentos probióticos:

Receita de iogurte desnatado caseiro

Ingredientes:

  • 1 litro de leite desnatado;

  • 1 copo de iogurte desnatado natural.

Modo de preparo: Ferver o leite em um caneco. Depois de alguns segundos, quando ele já não estiver mais tão quente, despejar o iogurte no caneco e misturar bastante. Adicionar a mistura em uma panela e tampar bem. Para deixar bem fechado, você pode colocar um pano de prato bem higienizado entre a panela e a tampa. Separar a mistura em um canto e deixá-la ali durante 24 horas. Em seguida, colocar na geladeira. Depois que gelar, basta servir.

Receita de chucrute rápido

Ingredientes:

  • 1 repolho grande cortado em tirinhas;

  • 2 xícaras de chá de água;

  • 1 colher de chá de sal

  • 3 colheres de sopa de óleo;

  • 2 dentes de alho esmagados;

  • 2 cebolas picadas;

  • 1colher café de pimenta-do-reino;

  • 2 folhas de louro;

  • 12 cravos;

  • ¼ de xícara de chá de açúcar;

  • 1 gengibre pequeno esmagado;

  • 2 xícaras de chá de vinho branco seco;

  • 1 colher de sopa de farinha de trigo;

  • 1/2 colher de chá de suco de limão;

  • 1/4 de xícara de chá de creme de leite.

Modo de preparo: Colocar em uma panela a água e o sal e deixar ferver. Adicionar o repolho picado e ferver novamente por mais dois minutos. Escorrer e reservar. Aquecer o óleo e refogar as cebolas e o alho até que fiquem douradas. Acrescentar a pimenta-do-reino, o louro, os cravos, o açúcar e o gengibre. Juntar o vinho misturado com a farinha de trigo. Na sequência, mexer e colocar o suco de limão dissolvido no creme de leite. Mexer mais uma vez e retirar do fogo. Colocar a mistura junto com o repolho fervido e servir em seguida.

Giovanna Giacomini

#TRENDY #NUTRI #GIONUTRI #NUTRICIONISTA

25 visualizações